Skip to main content

três caminhões em uma rodovia

Como a telemática veicular ajuda a prevenir acidentes e melhorar a segurança na frota

Última atualização de 4 de março de 2024 em Segurança do Motorista por Geotab Team |  6 minutos de leitura


A telemática veicular ajuda a evitar acidentes e aumentar a segurança das frotas

Conheça as soluções de telemática veicular que ajudam a proteger motoristas e criar políticas de conscientização de segurança da frota 

A segurança do motorista e das pessoas envolvidas no trânsito é um dos pontos mais importantes para a gestão de frotas. Ainda que existam muitas tecnologias para melhorar o desempenho dos veículos, cabe aos motoristas garantir que as melhores decisões sejam tomadas. As políticas de conscientização ajudam a evitar uma série de acidentes que podem comprometer a vida de pessoas e a qualidade do serviço oferecido pela companhia.

 

A Geotab, líder global em telemática, é pioneira no uso de tecnologias que oferecem um acompanhamento completo de prevenção e reconstrução de colisão, com uma solução de telemática que auxilia milhares de empresas a serem mais eficientes e seguras, monitorando e enviando alertas sobre comportamentos de risco dos motoristas em tempo real. 

Separamos a seguir dicas e estatísticas importantes para ajudar os gestores a aumentar a segurança das frotas.

 

Telemática como aliada da segurança rodoviária

Com frotas representando mais de um quarto do tráfego rodoviário em muitos países, é imperativo que as empresas trabalhem continuamente para reduzir o risco para seus funcionários e outras pessoas na estrada. Os gerentes têm grande responsabilidade, pois desempenham um papel estratégico que pode fazer a diferença no dia a dia dos motoristas. Com a solução telemática da Geotab, é possível ter visibilidade sobre as operações em tempo real e a melhorar a segurança da frota por meio de:

Mas antes de saber como as ferramentas de monitoramento podem ajudar, é necessário entender o panorama dos incidentes nas estradas e seus impactos além delas.  

Sete estatísticas sobre acidentes rodoviários

1 - Distração de motoristas é a principal causa dos acidentes de trânsito no Brasil

A condução distraída pode ser definida por ações simples, como falar ao telefone ou enviar mensagens de texto, comer, ajustar as configurações no painel do  veículo ou simplesmente perder o foco na estrada por cansaço, por exemplo. Apesar de parecer inofensivo, esse tipo de comportamento pode ser fatal: segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a condução distraída foi a principal causa de colisões no Brasil nos últimos dois anos, resultando em aproximadamente 22.362 acidentes.

 

Mesmo com boas condições climáticas e de estrada, em 62% dessas ocorrências, a distração do motorista foi evidenciada como fator responsável pelas colisões. De acordo com estimativas, tirar os olhos da estrada por dois segundos aumenta em duas vezes o risco de colisão e, a cada 30 minutos, uma pessoa é ferida em um acidente resultante de condução distraída.

 

A telemática da Geotab pode apoiar o programa de segurança de uma empresa e a política de direção distraída com monitoramento e envio de alertas em tempo real para os gestores de frota e para os motoristas dentro do veículo, além da notificação instantânea em caso de colisão e relatórios automatizados de risco e segurança e segurança da frota.

2- Acidentes de trânsito são responsáveis por 1,35 milhão de mortes todos os anos

A Brake, uma instituição de caridade de segurança rodoviária, informa que a cada 24 segundos alguém é morto nas estradas em todo o mundo. Os acidentes de trânsito também representam a oitava maior causa de morte para pessoas de todas as idades e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) esse fator pode subir para a sétima posição até 2030.

Como um dos seis pilares principais da Geotab, a segurança de trânsito e prevenção de acidentes é uma prioridade fundamental da empresa, que trabalha diariamente para reduzir acidentes e proteger a população por meio de soluções e recursos exclusivos, como:

  • Monitoramento de comportamentos de direção agressivos;
  • Detecção antecipada de colisões;
  • Treinamentos preventivos.

3- O excesso de velocidade está diretamente ligado a maior probabilidade de morte em acidentes

Ainda de acordo com a OMS, para cada 1% de aumento de velocidade, há um risco 4% maior de morte e um aumento de 3% na gravidade de um acidente. Isso significa que, se o limite de velocidade for de 100 quilômetros por hora, passar apenas 10 quilômetros acima do limite de velocidade aumenta o risco de um acidente mortal em 40%.

 

Neste ano, a BBC News Brasil, a partir do DataSUS – o banco de dados públicos do Sistema Único de Saúde (SUS) – revelou que 16% das vítimas de acidentes de trânsito no Brasil são compostas por pedestres. Entre essas ocorrências, o estudo aponta para quase 5,1 mil óbitos entre quem anda a pé e que a principal causa está relacionada ao excesso de velocidade dos motoristas.

 

O risco de morte de pedestres em incidentes frontais aumenta 4,5 vezes quando a velocidade do carro sobe de 50 km/h para 65 km/h. Em colisões laterais, o perigo é de 85% quando um veículo está viajando a 65 km/h.

 

A telemática é um grande incremento aos programas de segurança de frota, fornecendo informações objetivas sobre o desempenho dos motoristas. Uma plataforma telemática como a da Geotab torna possível estabelecer uma linha de base sobre o excesso de velocidade, definir regras e acompanhar o progresso em direção às metas. Veja mais informações neste conteúdo.

4 - Caminhões representam mais de 19% de todos os veículos envolvidos em acidentes

O Painel CNT de Consultas Dinâmicas de Acidentes Rodoviários, uma ferramenta desenvolvida pela Confederação Nacional do Transporte, aponta que, em 2021, os acidentes que envolveram caminhões resultaram em um total de 20.745 ocorrências de acidentes e mortes, representando 19,46% do total durante o ano.

O descumprimento das regras de repouso, imprudência ao dirigir, condução distraída e a má conservação das estradas estão entre as principais causas desses acidentes. 

A Geotab oferece uma solução que estabelece regras para medir cada parte da política de segurança na direção por meio de um dispositivo alocado no veículo, que coleta dados sobre o comportamento do motorista praticamente em tempo real. Por meio de add-ons, o sistema envia alertas e cria relatórios, ajudando a melhorar os hábitos de condução e a segurança.  

5- Falta de manutenção veicular causa mais 235 mil acidentes ao ano

A falta de manutenção dos veículos também pode aumentar os riscos e até mesmo ser fatal para funcionários e pessoas envolvidas no trânsito, além de causar danos às cargas e prejuízo financeiro às empresas. Segundo o Observatório de Dados da Polícia Rodoviária Federal, em 2021, mais de 235 mil infrações de trânsito foram reportadas como condução de veículos em mau estado de conservação, comprometendo a segurança nas vias.

 

Por isso, uma política de manutenção veicular é fator indispensável. Neste artigo, explicamos o impacto dela para a segurança das frotas e apresentamos como a telemática da Geotab auxilia na definição de melhores práticas e no gerenciamento das manutenções por meio da sua ferramenta e da inteligência de análise de dados.

 

6 - Acidentes de trânsito custarão à economia mundial aproximadamente US$ 1,8 trilhão até 2030

Um estudo publicado pelo The Lancet prevê que acidentes fatais e não fatais custarão ao mundo US$ 1,8 trilhão até 2030. A pesquisa também mostra que as taxas de mortalidade devido a acidentes de veículos são três vezes maiores em países de baixa renda, que respondem por 60% dos veículos registrados no mundo. No Brasil, de acordo com a CNT, o custo estimado dos acidentes em 2021 foi de mais de R$ 12,19 bilhões.

A Geotab monitora dados de eventos adversos (aceleração, frenagem, curvas, etc.) e oferece a reconstrução de colisão por meio de algoritmos patenteados e do acelerômetro presente no dispositivo GO. Se uma suspeita de colisão for detectada, dados periciais detalhados serão carregados automaticamente a partir do dispositivo para permitir a reconstrução do evento, incluindo colisões reversas no veículo. 

 

7 - O uso de cinto de segurança no trânsito diminui a chance de acidentes fatais em até 75%

Um estudo da Associação Brasileira de Medicina do Transporte (Abramet) mostra que o uso do cinto de segurança nos bancos dianteiros pode reduzir o risco de morte em 45% e nos traseiros em 75%.

Apesar disso, quase 20% das pessoas ainda não o utilizam no banco da frente no Brasil, de acordo com os resultados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Para os passageiros do banco traseiro, o número é ainda maior: 46% dos entrevistados afirmam não usar o cinto de segurança.

Com a plataforma da Geotab, é possível melhorar os comportamentos de condução, orientando o motorista por mensagens de voz em tempo real. O feedback imediato ajuda a aumentar a segurança da frota, reforçar a política da empresa e incentivar seus motoristas a tomar medidas corretivas.

Imagem de homem concertando caminhão

A necessidade de padrões globais de segurança

 

Além dessas estatísticas, segundo o Automotive Fleetuma só colisão pode somar uma média de US$ 16 mil a US$ 75 mil de despesas para uma empresa – um gasto altíssimo, somado a tragédias imensuráveis que, com as medidas certas, pode ser evitado.

No entanto, não existe um padrão comum de segurança rodoviária como referência global. Muitas vezes, os gerentes de frota com responsabilidades internacionais se veem desafiados a fornecer um nível mínimo de exigências, que variam de acordo com cada país, o que resulta na criação de políticas de segurança divergentes.

 

A boa notícia é que, embora os padrões globais de segurança não tenham sido implementados até agora, o Departamento de Segurança e Proteção das Nações Unidas (UNDSS) está se movimentando em direção a isso. Em 2019, o UNDSS lançou uma estratégia de segurança rodoviária que visa reduzir o número de acidentes em 50% até 2030, coordenar as interações de velocidade, veículos, infraestrutura rodoviária e comportamento do usuário na estrada para melhorar a segurança rodoviária global. A proposta inclui cinco pilares:

 

  • Gestão da segurança rodoviária;
  • Veículos mais seguros;
  • Usuários mais seguros;
  • Resposta pós-acidente;
  • Condução mais segura.

 

Implementação de padrões de segurança contra acidentes

Adotar um sistema de classificação de acidentes nas frotas oferece uma experiência de trabalho mais segura aos motoristas, e ainda economiza recursos da empresa no longo prazo. Embora falhas aconteçam, a mitigação de danos pode ser controlada. A Geotab fornece soluções para gerenciar a condução arriscada e reduzir a taxa de colisão. Para saber mais, explore nossas soluções de segurança para frotas

 

Você também pode tirar dúvidas e saber os principais temas relacionados à segurança de frota na Comunidade Geotab.

 


 


Se você gostou deste post, fale para nós!


Aviso Legal

As postagens do blog da Geotab visam fornecer informações e incentivar a discussão sobre tópicos de interesse para a comunidade de telemática em geral. A Geotab não está fornecendo consultoria técnica, profissional ou jurídica por meio destas postagens do blog. Embora todos os esforços tenham sido feitos para garantir que as postagens neste blog sejam oportunas e precisas, erros e omissões poderão ocorrer, e as informações aqui apresentadas poderão ficar desatualizadas com o passar do tempo.

Fique por dentro das novidades do setor e dicas da Geotab

Inscreva-se para receber nosso conteúdo mensal com dicas sobre gerenciamento de frotas e novidades do setor. Você pode se descadastrar a qualquer momento.

Outros posts que você talvez goste

Veículo em colisão

Maio amarelo: o que é e como a segurança da frota pode prevenir acidentes

O Maio Amarelo é uma campanha internacional criada em 2014 pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) que ocorre anualmente durante todo o mês de maio.

25 de maio de 2023

Triângulo na rua com carro acidentado

Estatísticas rodoviárias sobre o Carnaval e como evitar acidentes

Soluções de telemática veicular ajudam a proteger motoristas e criar políticas de conscientização de segurança da frota

14 de fevereiro de 2023

Dashboard monitorando caminhões

Quais são os indicadores mais utilizados para gerenciar frotas?

Saiba quais KPIs podem otimizar a gestão de transporte da sua empresa

12 de dezembro de 2022

Manutenção preventiva, preditiva e corretiva na gestão de frotas | Geotab

Qual a diferença entre manutenção preventiva, preditiva e corretiva na gestão de frotas?

Entenda o impacto da política de manutenção na segurança das frotas

5 de outubro de 2022

View last rendered: 06/18/2024 01:48:28